quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Júpiter desce do Olimpo para nadar nas infinitas águas de Peixes.




Quem estava observando o céu logo após o anoitecer no último domingo, pôde apreciar uma belíssima conjunção de Júpiter com a Lua saindo de sua fase Nova. Ambos os astros transitavam no final do signo de Aquário e, algumas horas depois, exatamente às 00:10 (horário de verão em Brasília) do dia 18/01/2010, o maior planeta do sistema solar começava sua peregrinação pelo signo de Peixes.


Antes de 1846, quando Netuno foi descoberto, Júpiter era o único regente de Peixes, ou seja, a qualidade expansiva, otimista, sempre dirigindo-se para um poder maior que podemos chamar de "Deus", a religiosidade cerimonial e dogmática, a especulação filosófica análoga ao planeta encontravam-se cosmicamente favorecidas no signo espiritualista de Peixes. A energia de Júpiter combinada com o elemento pisciano sugere muita esperança, fé, fenômenos paranormais e mediúnicos espontâneos, dignos de nota e merecedores de credulidade. Como tudo o que existe na nossa realidade que é dual, o outro pólo das qualidades acima pode desencadear fanatismo religioso, ilusões, fantasias, excesso de otimismo, exageros, sobretudo em bebidas e narcóticos. Se a Lua Cheia em Peixes prenunciava a enchente do Nilo para o povo do Antigo Egito, imaginem o que pode significar Júpiter, aquele que expande tudo por onde passa, mergulhando no oceano de Peixes: enchentes, aumento dos níveis pluviométricos, mares agitados etc. Durante a última visita de Júpiter a Peixes, em 1998, o Viagra foi lançado – o remédio milagroso que "salvou" muita gente. Por outro lado, Osama Bin Laden desafiou o Ocidente pela primeira vez, com o seu discurso carregado de determinações de Allah e promessas paradisíacas para seus seguidores.


Júpiter é visto com muita simpatia pela Astrologia convencional, da mesma forma que Saturno leva a fama de mau. Mas, as coisas não são bem assim. A Astrologia tem por base a filosofia hermética que ensina a teoria das polaridades: não existe bom ou ruim, nem certo ou errado. São apenas faces de uma mesma coisa, como acontece com a sorte e as recompensas proporcionadas por Júpiter de um lado e os exageros e descontroles de outro. Saturno também. Ele é um exímio e exigente construtor, desde que você tenha o amadurecimento e a responsabilidade para respeitar o tempo suficiente para determinada construção. Senão, ele restringe, limita, impede você de ir em frente. Daí que o importante é respeitar as orientações que os astros nos demonstram e evitar frustrações.


Aqueles que possuem algum planeta ou elemento (Ascendente e Meio-do-Céu) no signo de Peixes estão prestes a ser beneficiados em alguma área de sua vida. A sensação é de "um presente vindo do céu", uma dádiva ou uma recompensa via merecimento. Nada de se render à perda de controle, achar que atingiu o Nirvana e está na hora de embarcar nesta viagem regada a êxtases. Mantenham a lucidez, lembrem-se de que o signo oposto, Virgem, pode revelar uma sombra na forma de confusões, desorganização e erros de julgamento. Bebam destas águas com moderação. Afinal, Peixes é um signo do elemento água de qualidade mutável, eleva as emoções à flor da pele. Sensibilidade e sensitividade que se encarregam de ajudar os mais necessitados desinteressadamente, como ensina o Cristianismo, religião predominante da Era de Peixes. Contudo, mantenham o espírito crítico e analítico evitando o charlatanismo e os lobos com pele de cordeiro.


Ótima oportunidade para mergulhar nas suas emoções mais profundas e sentir um pouco da sua Luz Astral, analisar sua psique profunda. Tenho recomendado a alguns clientes mergulhar no arquipélago de Fernando de Noronha, pois a sensação é de vivenciar exatamente isto: um mergulho profundo no desconhecido, no inconsciente coletivo, silencioso, misterioso, difuso e diferente do concreto e material. É uma espécie de meditação, já que no processo de mergulho, a respiração rítmica é essencial.


O deleite de termos Júpiter em Peixes será um tanto quanto breve, já que ele só entrará em movimento retrógrado em julho, quando já estará no começo de Áries. Entre setembro de 2010 e janeiro de 2011, fará um breve retorno dando mais um gostinho para o último decanato de Peixes. O suficiente para enfrentar com fé e otimismo um ano difícil como 2010, que herdou um aspecto muito tenso entre Plutão e Saturno do final de 2009, prometendo rupturas estruturais tanto geologicamente (vide Haiti), como econômica e politicamente. Urano também volta a se opor a Saturno retrógrado que regressa no signo de Virgem entre abril e maio próximos. Foi este aspecto que irrompeu a crise econômica no final de 2008. Urano chegando ao signo de Áries entre maio e junho tende a provocar ataques terroristas ou guerras-relâmpago. Mas isto é assunto para um próximo artigo.

Um comentário:

Luan Ramos disse...

Olá Mônica!

Adorei seu Blog e mais ainda essa explicação dessa importante entrada de Júpiter em Peixes!
Já estou te seguindo!

Se quiser visitar o meu:

http://entendendoastrologia.blogspot.com/

bjz