quinta-feira, 12 de junho de 2014

A Sabedoria do Amor - Lua Cheia em Sagitário

A Lua Cheia em Sagitário, ou seja, a oposição exata entre o Sol em Gêmeos e a Lua em Sagitário se dará nas primeiras horas desta sexta-feira, dia 13 (!?) de junho, mais precisamente às 1:11. Muitos de nós ainda estaremos comemorando o dia dos namorados e/ou uma provável vitória da seleção canarinho.
 
Gosto de pensar na complementaridade Gêmeos X Sagitário sob a inspiração de Crowley e Harris no Tarot de Crowley (ou Thoth) : o arcano “Os Amantes”, regido por Gêmeos, representa todo o tipo de dualidades que nossa mente racional produz – masculino/feminino, claro/escuro, fogo/água etc. O arcano “A Arte”, regido por Sagitário, demonstra a união das dualidades em Os Amantes, ou seja, a “arte alquímica” em unir opostos, fundir dois padrões vibratórios para o surgimento de um terceiro mais sábio e desenvolvido. Acredito que este seja o verdadeiro propósito do Amor, a combinação de energias no intuito de extrair o que há de melhor em ambas as partes envolvidas.
 
Entretanto, ceder, mudar, unir, combinar, estar disposto a abrir mão da pseudo-segurança emocional, sair do controle, enfim, é tudo muito difícil e arriscado! A sincronicidade demonstra através da configuração astrológica desta fase lunar exatamente este possível estado de almas, muito comum hoje em dia. Saturno em Escorpião oposto à Vênus em Touro, por exemplo. A Astrologia tradicional venera esta posição de Vênus como uma perfeita combinação energética. Faz sentido! Afinal, além de deusa do amor, ela também é a deusa da beleza e, em Touro, sua plasticidade artística é valorizada. No âmbito dos relacionamentos porém, esta posição tende ao apego e à estagnação, o que dificulta a intensa e completa simbiose da arte alquímica nos relacionamentos. Saturno, filho de Urano, castrou o próprio pai e, o resultado da queda de seus testículos no oceano foi o nascimento de Afrodite (Vênus) tão bem representado por Boticcelli. A liberdade (Urano) e a transcendência (Oceano – Peixes) estão contidas no arquétipo venusiano, o amor é livre e transcende nossa racionalidade bipolar, nos transformando em seres mais sábios e evoluídos. A oposição exata de Saturno em Escorpião (transformação) à Vênus em Touro revela esta necessidade de desapego, liberdade, transcendência, pois todo o relacionamento é um reencontro de almas na tentativa de recuperar sua essência, sua pedra filosofal.
 
Outro aspecto exato relevante nesta Lua Cheia, é a quadratura entre Plutão em Capricórnio e Marte em Libra. Libra também é um signo regido por Vênus e representa os relacionamentos! Vejam quanta sincronicidade! O aspecto entre os dois astros é bastante desafiador, uma quadratura (90º), requer muita harmonia e disposição de não se submeter a conflitos por excesso de controle (Plutão). Transformar (Plutão) as dualidades (Libra) e conflitos (Marte) significa render-se ao amor sem apegos, mas voltado à compreensão espiritual do momento e à sincronicidade da união, pois não existe mero acaso nem na Astrologia, nem na comunicação não-local de dois simples elétrons no universo quântico.
 

O Amor nos transforma e nos torna mais evoluídos. É um verdadeiro salto quântico para qualquer Vênus e Marte, famosos amantes mitológicos, seja qual for sua configuração astrológica. Nos faz esquecer dos tolos preconceitos da “sexta-feira 13” e promove a conexão com o “outro”, sem controles ou apegos.

Nenhum comentário: